Revista VIDA RURAL - Orgulho de ser do campo
Home > Pecuária > Apicultura > Assistência Técnica do Senar desenvolve indicadores específicos para avaliar desempenho de apicultores em MS

Assistência Técnica do Senar desenvolve indicadores específicos para avaliar desempenho de apicultores em MS

Check list é feito mensalmente junto aos produtores rurais atendidos pela Assistência Técnica e Gerencial em Apicultura

 Diferente de outras cadeias produtivas, os indicadores de desempenho da apicultura são a própria produção de mel. Pensando nessa característica tão peculiar da atividade, a Assistência Técnica e Gerencial do Senar/MS, desenvolveu uma ferramenta simples, no formato de “check list”, com diferentes itens, que apontam o desenvolvimento do negócio dentro da propriedade. Este é o tema da editoria Educação no Campo desta quarta (24).

A lista é composta por itens como limpeza, acessibilidade, qualidade da água, controle de pragas, sombreamento das colmeias, qualidade da cera, florada presente, força do enxame, entre outros. Quanto maior a nota do apiário, maior a produção. 

“Cada um dos elementos impacta diretamente na produtividade e qualidade na apicultura. O técnico faz a avaliação durante a visita na propriedade e avalia os parâmetros que possuem pesos diferentes. Quando a pontuação é somada, o produtor tem a nota do apiário que indica o desempenho das colmeias”, explica a técnica de campo do Senar/MS, Priscila Wielewski.

Entre os elementos analisados, o destaque fica por conta da flora apícola e da água, itens que possuem nota máxima na avaliação. De acordo com a técnica, outros fatores precisam ser observados, mas na escassez de um desses elementos, a produtividade e qualidade da apicultura fica limitada.

“A flora apícola é o aporte nutricional das abelhas, de onde elas retiram o néctar, o pólen e a resina, para alimentação das abelhas, das crias e para a produção de própolis”, explica a técnica.

A água também está entre os elementos mais importantes desta cadeia produtiva. O líquido é utilizado no sistema fisiológico, hidratação do néctar, resfriamento das colônias em dias quentes, manutenção da umidade dentro da colônia para sobrevivência das larvas, uso para a produção da geleia real, entre outras funções. “A água precisa ser de boa qualidade para a sobrevivência das abelhas e para que não haja contaminação dos produtos apícolas”, resume. 

Caso haja escassez de um destes elementos, a produtividade e a qualidade da apicultura serão limitadas. Existem vários outros fatores que precisam ser observados, mas esses dois são os primeiros a serem observados pelo técnico.

Fonte: Famasul

Artigos relacionados
Polinização pode aumentar a produtividade de culturas de grande importância agrícola no Brasil
Nabo forrageiro é estratégia da Embrapa para disponibilizar alimento para abelhas
Mel produzido por apicultores atendidos pelo Senar/MS registra preço de R$ 13,43 o quilo


Deixar um comentário